A entrada no inverno marca também a altura de maior risco de gripe, principalmente entre adultos. Esta é uma infeção respiratória contagiosa que, regra geral, pode ser curada de forma natural. No entanto, podem surgir complicações, principalmente para alguns grupos etários. A vacina da gripe pode ajudar a prevenir essas complicações, por isso fique a saber mais sobre esta medida de prevenção.

Se quiser saber mais sobre vacinação em geral, pode consultar esta página de informação útil sobre vacinação.

 

Sobre a vacina da gripe

A vacina contra a gripe é constítuida por vírus inativos de algumas estirpes da gripe, que provocam a produção de anticorpos. Em caso de ataque de germes causadores da doença, estes anticorpos são chamados a defender o organismo, neutralizando-os.

Esta é uma vacina considerada segura. Pode, no entanto, provocar algumas reações locais como dores, eritemas ou a formação de nódulos no local da injeção, bem como febre ou mialgias. Todos estes efeitos secundários são, regra geral, de curta duração pelo que acabam por desaparecer rapidamente.

O perído de vacinação contra a gripe inicia-se em outubro. Apesar de poder ser administrada durante todo o outuno e inverno, deve ser idealmente tomada até ao final do ano. Todas as receitas médicas administradas desde 1 de julho terão validade até ao final de dezembro.

 

Quem precisa da vacina da gripe?

A vacina contra a gripe é a principal medida de prevenção contra a doença, principalmente para proteção de pessoas mais vulneráveis.

Apesar de esta vacina não fazer parte do Plano Nacional de Vacinação (PNV), é fortemente recomendada pela Direção Geral de Saúde a alguns grupos de pessoas, como:

  • Pessoas com 65 anos ou mais
  • Doentes crónicos e imunodeprimidos (a partir dos 6 meses de idade)
  • Grávidas
  • Profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados (por exemplo, profissionais de estruturas residenciais para pessoas idosas, lares de apoio, entre outros)
  • Pessoas sem abrigo
  • Crianças e adolescentes (6 meses -18 anos) em terapêutica prolongada com salicilatos e que vivam em instituições

Para além destes grupos, a vacina da gripe também é aconselhada a pessoas entre os 60 e 64 anos. A recomendação da vacina da gripe dirige-se a grupos de maior risco e tem como principal objetivo a diminuição da mortalidade causada pela doença.

Fique também a saber tudo sobre a vacinação obrigatória para crianças.

 

Saiba onde tomar a vacina e qual o custo

Para a generalidade da população, a vacina deve ser adquirida na farmácia mediante prescrição médica e tem uma comparticipação de 37%. Em 2018, o preço da vacina varia entre os 2.80 euros e os 3.68, euros, dependendo ou benefício ou não de regime especial de comparticipação.

A vacina contra a gripe é, no entanto, gratuita para os grupos cuja doença constitui um perigo maior:

  • Pessoas com 65 anos ou mais
  • Cidadãos residentes ou internados em instituições (por exemplo, lares de idosos)
  • Doentes integrados na rede de cuidados continuados
  • Profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde ou Bombeiros (com recomendação)
  • Guardas prisionais e reclusos
  • De grupos de maior risco clínico, independentemente da idade, sem necessidade de declaração médica (como pessoas portadoras de Diabetes Mellitus, pessoas em diálise, com trissomia 21, a aguardar ou que tenham sido submetidas a transplante)
  • Com necessidade de declaração médica, cidadãos sob quimioterapia, com fibrose quística, com défice de alfa-1 antitrispina sob terapêutica de substituição, com patologia do interstício pulmonar sob terapêutica imunossupressora ou com doença crónica com comprometimento da função respiratória, de eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções

Para grupos de pessoas cuja vacina é gratuita, basta que se dirijam ao centro de saúde da sua área de residência, sem necessidade de receita médica.

Também é ao centro de saúde que as pessoas que adquirem a vacina na farmácia sob recomendação médica se devem dirigir para a vacinação.

 

Aposte na prevenção

Apesar da vacina contra a gripe ser a principal medida de prevenção contra a doença, não garante 100% de eficácia, uma vez que pode contrair a gripe por vírus de estirpes menos comuns.

Por isso, a par da vacina, deve tomar algumas medidas, tais como a proteção do frio ou diferenças de temperatura, a higiene das mãos, seguir algumas regras de etiqueta respiratória (como tossir ou espirrar para um lenço descartável ou para o antebraço), dirigir-se a um profissional de saúde sempre que tiver sintomas da gripe e, claro, a prática de uma alimentação saudável.

Em todo o caso, saiba que pode sempre dirigir-se ao seu centro de saúde mais próximo se tiver sintomas da doença. Saiba aqui como fazer a marcação de consulta nos centros de sáude.

Responder